Loading...

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Tempo Oportuno Para Ser Feliz


"Tu me farás conhecer a vereda da vida; na tua presença há
plenitude de alegria; à tua mão direita há delícias
perpetuamente" (Salmos 16:11).

O importante é o que você faz e não quando você faz".
Vejamos uma relação de pessoas que fizeram alguma coisa em
idades diferentes: Golda Meir tinha 71 anos quando se tornou
Primeira Ministra de Israel. William Pitt II tinha 24 anos
quando se tornou Primeiro Ministro da Grã-Bretanha. George
Bernard Shaw tinha 94 anos quando sua primeira peça foi
produzida. Mozart tinha apenas 7 anos quando sua primeira
composição foi publicada. Benjamin Franklin era um colunista
de jornal aos 16 anos e um autor da Constituição dos Estados
Unidos quando tinha 81 anos. Você nunca será muito jovem ou
muito velho se tiver talento.

Às vezes pensamos que somos muito jovens para nos
preocuparmos com vida espiritual e salvação. É comum
ouvirmos frases do tipo: "Quando for velho eu pensarei em
igreja e eternidade. agora preciso me distrair e aproveitar
a vida". Também já ouvimos declarações como "agora estou
velho demais. Se não fui capaz de pensar em Deus em minha
juventude, que importa agora que estou no fim da vida?"

Em ambos os casos as pessoas estão erradas. Não há tempo
determinado para se buscar a felicidade. O melhor é fazê-lo
o mais cedo possível para que o tempo de alegria seja maior.
Mas se, por um motivo qualquer, perdemos a oportunidade de
uma vida abençoada nos primeiros anos de nossa vida, o
melhor a fazer é desfrutar das bênçãos que Deus ainda tem
para nos dar pelo tempo que nos resta para viver.

Deus concedeu, tanto a jovens como a idosos, o talento para
ser feliz. Cristo é a nossa felicidade, a nossa razão de
viver, o caminho seguro para a realização de todos os nossos
ideais.

Sempre será tempo oportuno para buscarmos a realização de
nossos sonhos e para encontrarmos a verdadeira felicidade.

Do site: Escuro Iluminado

Deus abençoe abundantemente todos

Paulo Roldão

terça-feira, 5 de maio de 2009

ORANDO COMO PAULO ORAVA


"Damos, sempre, graças a Deus por todos vós, mencionando-vos em nossas orações e, sem cessar". (Tessalonicenses 1: 2)

Será que temos acompanhado os novos convertidos, como Paulo fazia? Os convertidos de Paulo espalhavam-se por mais de 20 igrejas, mas ele os carregava "a todos" no coração e mantinha contato com eles.

Você tem uma lista de oração? Você ora por outros, mencionando seus nomes? Faz menção dos seus amigos diante de Deus? Talvez você ache difícil falar de Cristo a outros, procure falar a Cristo a respeito deles, e, em breve, estará falando aos outros a respeito de Cristo. Todos nós podemos fazer isso, mesmo os mais tímidos.

Devemos compreender, a finalidade de estarmos no mundo? Levando a sério nossa tarefa? Paulo apresenta na carta aos Tessalonicenses a intencidade do seu ministério; sua disposição de morrer pelos novos convertidos; seu modo de tratar cada um.

Paulo dá graças a Deus por essa igreja. Sua beleza não consistia num belo templo, mas no povo que realmente buscava uma comunhão com Deus, e com o crescimento maravilhoso dos cristãos daquela igreja. Apresentava-os como exemplo aonde quer que fosse. Seu zelo já havia causado viva impressão em toda a Macedônia e Acacia (Grécia), e todos comentavam a maneira maravilhosa como Deus vinha operando na nova e vigorosa igreja de Tessalônica.

"De sorte que vos tornastes o modelo para todos os crentes". (Tessalonicenses 1:7). É isso que o mundo esta procurando, cristãos que vivam a vida cristã, que ponham em prática aquilo que crêem. Era o que os tessalonicenses faziam. Seu entusiasmo missionário, em proclamar a Palavra de Deus, era sentido em toda a Grêcia. Eles eram o que toda igreja deveria ser.

Deus abençoe abundantemente todos
Paulo Roldão

segunda-feira, 4 de maio de 2009

FÉ NATURAL x FÉ SOBRENATURAL





Todos os seres humanos nascem com a fé natural, esta fé é inerente a todos os humanos e sem ela é impossível viver. Para ficar em pé por exemplo, precisamos crer que os nossos pés suportarão o peso do nosso corpo; todo trabalhador cre que no final do mês receberá seu salário e porisso trabalha o mês inteiro, o paciente precisa crer na capacidade do seu médico para ser ajudado; o agricultor precisa crer que após semear e no devido tempo colherá o fruto da sua semeadura. E assim por diante.

Nenhuma profissão, nenhum trabalho é executado sem a fé natural. Absolutamente nada neste mundo é feito sem usarmos a fé natural.

Pedro, usando a fé natural, lançou as redes no mar durante toda a noite e nada conseguiu. O que significa que a fé natural nem sempre produz o efeito desejado, porque está sujeita às circunstâncias. O que não acontece com a fé sobrenatural, pois esta não esta sujeita a nada além da confiança na Palavra de Deus. Ela é sobrenatural porque depende da revelação divina.

Pedro responde: "Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos, mas sob a tua palavra lançarei as redes" (Lucas 5:5)

Ora, como pescador experiente, Pedro tinha consciência de não haver peixes ali, mas, em obediência à Palavra de Jesus (ato de fé sobrenatural), ele lançou as redes. Feito isso, recolheu tantos peixes que precisou da ajuda de outros pescadores para não perder nenhum peixe.

Pedro usou tanto a fé natural quanto a fé sobrenatural. A primeira falhou, mas a segunda funcionou além do que estava previsto.

Esse é o tipo de fé que traz beneficios práticos neste mundo e, sobretudo, no vindouro. A fé sobrenatural nos impulsiona a crer que Deus cumprirá tudo o que prometeu em Sua Palavra, independente das circunstâncias.

"Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem". (Hebreus 11:1)

Deus abençoe abundantemente todos
Paulo Roldão