Loading...

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

GÁLATAS: SEMEADURA E CEIFA


"Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará." (Gálatas 6:7)

Se semearmos no Espírito, teremos uma colheita espiritual. Se porém semearmos na carne, colheremos fraqueza moral.
A colheita não será de acordo com o que sabemos, mas de acordo com o que semeamos. Podemos ter abundância de grãos nos celeiros do saber, mas se não forem plantados em terreno apropriado, não produzirão fruto. Semeie a semente em palavras e ações. A Palavra de Deus sempre gera semente segundo a sua espécie.

Semei pois as sementes da sua vida no solo do Espírito, não no da carne. Semeados no Espírito, elas honrarão a Deus, mas semeadas na carne, vão apodrecer e produzir corrupção. O Espírito só produz frutos bons, a carne só o que é mal.

Muitos se enganam, dizendo: "Não importa o que eu semeie, desde que eu seja sincero". Seria esse um bom conselho para o lavrador? A vida egoísta nunca produzirá o fruto do Espírito. Semear e ceifar são termos de agricultura. O obreiro cristão não é comparado a um vendedor ou mecânico, mas a um agricultor. A obra cristã não é comprar e vender, mas semear e colher. Quando lidamos com almas, não somos mecânicos . Nosso trabalho não é consertar vidas, mas plantar a Palavra viva e eficaz.

Paulo trazia em seu corpo as marcas de Cristo:

"Quanto ao mais, ninguém me moleste; porque eu trago no corpo as marcas de Jesus." (Gálatas 6:17)

Essas marcas eram de:

PROPRIEDADE- Pertenço a Jesus. A palavra grega "stigmata" (marca) significa uma gravação feita com fogo no rosto, no corpo ou no braço do escravo.

Quais eram as marcas de Paulo? Eram cicatrizes que ele havia recebido nas perseguições e provações sofridas por amor a Cristo. (2 Coríntios 6:4; 11:23)

As mãos calejadas do opérario mostram o seu trabalho rude; o rosto crestado do homem do mar, as feridas do soldado, as rugas no rosto da mãe, todos são dignos de honra. As marcas do escravo de Cristo falam, primeiro, de um caráter transformado e depois da obra de amor realizada para Ele.

DEDICAÇÃO- Que cicatrizes recebem os falsos mestres por causa de Cristo? Nenhuma. Eles souberam poupar-se. Mas olhem as minhas, diz o apóstolo Paulo.

COMISSÃO- Os falsos mestres tinham chegado munidos de cartas de autorização. Ao que Paulo dizia: "Não trago cartas de recomendação, mas vejam minhas cicatrizes. Elas constituem a minha comissão."

Em Cristo Jesus somos livres para conhecer a vida ilimitada que há nEle.
Nele somos uma nova criatura, temos uma nova vida em Cristo e certamente tudo que semearmos ceifaremos.

Deus abençoe rica e abundantemente todos
Paulo Roldão

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

PRATICAR A PALAVRA DE DEUS


O Senhor Jesus disse:

"Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica, será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha.
E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela dasabou, sendo grande a sua ruína." (Mateus 7: 24,2
7)

A verdadeira sabedoria não está em conhecer toda a Bíblia, mas em praticar aquilo que se sabe dela!

Existem muitos cristãos cheios de conhecimentos da Bíblia Sagrada, entretanto, vazios da sua prática. Ao que tudo indica, acreditam que o fato de saberem das coisas de Deus é suficiente para livrá-los do dia mau. Se isso fosse verdade então o rei Salomão, que foi o homem que mais recebeu sabedoria de Deus na face da Terra, não cairia na desgraça da idolatria, arrastando o próprio povo de Israel com ele!

A pratica da Palavra de Deus basicamente consiste em três atitudes:

1) Integridade e Retidão
2) Temor do Senhor
3) Desvio do Mal

Essas três qualidades retratam o caráter perfeito do díscipulo do Espírito Santo, conforme o próprio louvor de Deus a Jó, diante de Satanás, quando Ele disse:

"Observaste o meu servo Jó? Porque ninguém há na Terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal." (Jó 1:8)

Deus honrou Jó, não por aquilo que fazia na Terra, mas pelo que ele era; por seu caráter e sua conduta. É muitíssimo importante examinarmos a nossa vida em relação a Deus, isto é, verificarmos se o que fazemos é mais importante do que somos para com Deus!
Quando um pai olha para o filho, o que vê primeiro?
O que ele faz ou representa para o pai? É claro, o que ele representa para o pai é muito mais importante! Assim, também é Deus! Quando nos vê, primeiro vê o Seu filho redimido e, depois, o que esse filho está fazendo. Em outras palavras: para Deus o mais importante é o nosso caráter e depois o trabalho, ou os frutos deste caráter.


Deus abençoe rica e abundantemente todos
Paulo Roldão






segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

O MINISTÉRIO TERRENO DE JESUS CRISTO



Isaias, profetizando a respeito do Senhor Jesus disse:

" O Espírito do Senhor está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para sua glória."


O ministério terreno do Senhor Jesus teve início apenas depois que Ele recebeu o batismo nas águas e com o Espírito Santo. Até então, Jesus jamais se manifestara ao mundo, o que somente ocorreu quando Ele tinha 30 anos.

A profecia de Isaias identifica exatamente a vontade de Deus para os que se predispõem a servi-Lo como mensageiros da paz; justamente o que o Senhor Jesus fez. O ministério d'Ele não se limitou ao ensino, mas também à libertação.

Se a Igreja do Senhor Jesus deseja realmente servi-Lo de todo coração, deve, no mínimo, querer imitá-Lo em toda plenitude do Seu ministério e dar continuidade ao trabalho que Ele começou.

A unção que todo e qualquer homem de Deus recebe do Espírito Santo logo é manifesta entre os povos pelos frutos do seu trabalho constante:

a) ELE PREGA BOAS-NOVAS AOS QUEBRANTADOS: Significa que, em vez de pregar costumes, leva aos aflitos e desesperados a palavra de fé e esperança.

b) É ENVIADO A CURAR OS QUEBRANTADOS DE CORAÇÃO: Significa que vai até aqueles cujos corações estão em migalhas pelas circunstâncias da vida, curando-os com a palavra de amor, perdão e reconciliação com Deus.

c) PROCLAMA LIBERTAÇÃO AOS CATIVOS: Significa que divulga a Palavra para que, pelo conhecimento da Verdade, os cativos sejam soltos.

d) PÕE EM LIBERDADE OS ALGEMADOS: Significa que, pelo poder do Espírito Santo, em nome do Senhor Jesus e pela Palavra d'Ele, arranca pela raiz os espíritos imundos, deixando as pessoas em perfeita liberdade.

e) APREGOA O ANO ACEITÁVEL DO SENHOR: Significa que Deus não leva em conta o tempo da ignorância e aceita todos os que se chegam a Ele, independente dos erros cometidos no passado, e noticia que esse é o tempo em que o Senhor aceita todos como estão.

f) ANUNCIA O DIA DA VINGANÇA DO NOSSO DEUS: Significa que o dia do Juízo esta próximo para os que têm rejeitado a misericórdia do Senhor.

g) CONSOLA A TODOS OS QUE CHORAM: Significa que o Espírito de Deus O usa para confortar aqueles que sofrem clamando por justiça.

Esse era o ministério contínuo do Senhor Jesus Cristo! Quando João Batista enviou mensageiros ao Senhor para perguntar se Ele era Aquele que estava para vir ou se tinha de esperar outro, o Senhor Jesus disse: ..." Ide e anunciai a João o que estais ouvindo e vendo: Os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados, e aos pobres está sendo pregado o evangelho." (Mateus 11:4,5)

O Senhor Jesus apresenta oa povo não um Deus punitivo e limitado, mas um Deus amoroso, cheio de conpaixão que veio trazer vida, e vida em abundância.

Deus abençoe rica e abundantemente todos
Paulo Roldão


ALIANÇA ETERNA



Quando Deus criou o primeiro homem, era sua intenção que esta criatura viesse a se desenvolver e procriar na face da Terra, colaborando assim com o Criador na elaboração de uma sociedade perfeitamente justa, da qual Ele receberia o perfeito louvor. E ai entra a razão principal porque Deus criou o ser humano: Ele o fez para que O adorasse.

A palavra "DEUS" significa "UM QUE É ADORADO", quando uma pessoa adora alguma coisa ou alguém que nã seja o Deus único e Vivo, Criador dos Céus e da Terra, essa pessoa torna-se idólatra em função daquele ou daquilo qua adora. Temos visto na história do povo de Israel as várias advertências que o Senhor Deus fez para evitar que seu povo viesse a ser idólatra. Vimos também a ira de Deus se manifestar contra Salomão e todos os demais reis em Israel, devido à idolatria e as consequências drásticas por causa disso. Na verdade, Deus, como o nosso Criador, não aceita, em hipótese alguma, dividir a Sua glória com quem quer que seja.

O apóstolo Tiago disse:

" Ou supondes que em vão afirma a Escritura: É com ciúmes que por nós anseia o Espírito, que ele fez habitar em nós?! (Tiago 4:5)


Não é difícil entender esse ponto de vista da parte de Deus, porque qual o pai ou mãe que tem prazer em saber que o filho tem considerado qualquer outra pessoa como seu pai ou mãe?

Com a desobediência de Adão e Eva a Palavra de Deus, esse não teve outra alternativa senão executar um plano para tentar resgatar a Humanidade oriunda daquela rebelião. No plano Divino, alguém deveria dar sua vida em troca de todos os demais, mas este alguém não podia também ser qualquer um; tinha de ser semelhante ao homem original ou ter a mesmíssima estrutura física de Adão, viver neste mundo e jamais cometer qualquer pecado, por minimo que fosse.


Em outras palavras: O sacrificio tinha de ser perfeito, física e espiritualmente, para servir. A única opção estava na vinda do Filho de Deus como Salvador. Ele
seria sacrificado em favor da Humanidade, e, para que Ele pudesse vir, foi necessário criar uma nação separada de todas as demais.

Apartir de Abrahão, Deus começou a construir uma nação especial para esse propósito; fez dele a nação de Israel, e dentre os dessa nação escolheu uma moça virgem e pura para que concebesse Jesus, a fim de que, por seu intermédio, fosse feita uma nova e eterna aliança com todos os que se submetessem à Sua Palavra.

É claro que todas as tentativas anteriores de aliança que Deus fez com o ser humano falharam, não porque as exigências da parte de Deus fossem impossíveis de ser atendidas, mas porque a índole humana é pecaminosa por natureza.

Nas alianças anteriores, podemos constatar os benefícios que Deus traz imediatamente para aqueles que se submetem às regras; vimos também as consequências desastrosas quando estas regras são quebradas; e pudemos verificar que, mesmo sabendo antecipadamente que o homem iria falhar na sua parte, Deus insistiu em dar-lhe nova oportunidade. Nem uma única palavra que Deus pronunciou caiu no vazio, pois todas realizaram o propósito divino.

Por isso Deus ENVIOU SEU ÚNICO FILHO, como a nova e definitiva aliança, não
com uma raça especial, mas com qualquer ser humano que aceita a oportunidade que Deus dá para a sua vida.

"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3: 16)

Deus abençoe rica e abundantemente todos
Paulo Roldão